UMA REUNIÃO PARA NADA

Reunião na Governadoria

Aguardando ansiosos pelo desenrolar da reunião convocada pela Chefia de Gabinete do governador Robinson Faria, representantes da ADUERN, SINTAUERN, DCE e Reitoria foram surpreendidos pela Secretária Tatiana Mendes, ao declarar que as condições do Estado do Rio Grande do Norte continuavam na mesma e que estava ali para propor a finalização da greve dos servidores da UERN, que já completou 100 dias, sem que haja um motivo para a paralisação.

Disse a secretária que “Não há nenhum tratamento diferenciado com a UERN, ela está recebendo nos mesmos moldes que outras categorias, à exceção da segurança, que teve tratamento diferenciado. A saúde está sendo paga graças a um recurso federal, que tem garantido os salários dos ativos em dia. A educação básica tem recebido graças aos recursos do FUNDEB.

Faço esta reunião como um apelo para que a UERN acabe com esta greve. Não concordamos que haja motivos para continuar um movimento deste por tanto tempo. Ninguém deve ficar tanto tempo sem trabalhar”.

Os servidores que saíram de Mossoró por volta das 6h e viajaram durante quatro horas, estavam ali aguardando uma proposta para levar às suas categorias, que possibilitasse a finalização da paralisação, ficaram surpresos com a falta de bom senso dos membros do Governo pelo fato deles terem convocado uma reunião para não propor nada e ainda solicitaram o fim do movimento paredista quando não há nenhuma possibilidade concreta do pagamento dos salários serem colocados em dia, diante de um atraso que persiste por dois anos.
A presidente da ADUERN, Rivânia Moura, ainda fez uma proposta para que o governo incluísse um sistema linear no escalonamento dos pagamentos dos salários, tentando sensibilizar os secretários para a necessidade de se apresentar, pelo menos, um ponto de aprovação ou de mudança no sistema de pagamento, fazendo com que todos os servidores, independentes dos valores salariais, recebessem um percentual, mesmo pequeno, para fazer frente às suas necessidades mais urgentes.

O presidente do SINTAUERN, Elineudo Melo, concordou com a sugestão da presidente da Aduern e também reclamou da falta de propostas dos representantes do Governo na reunião, convocada por eles mesmos. Afirmou o presidente que seria impossível encerrar a greve sem oferecer aos servidores uma alternativa para os constantes atrasos dos salários. A estudante Glisiany Plúvia, que preside o DCE da UERN, foi enfática em afirmar que não deseja greve e que gostaria de estar estudando, mas não pode fechar os olhos para a atual situação da UERN. A reunião, após muitos discursos, foi encerrada da mesma forma como começou, sem nenhuma novidade. Diante disso, a greve na UERN continua.

COMANDO DE GREVE – SINTAUERN

compartilhe